Pesquisar

Estudo Lira-SPD

Acesso >>

Newsletter



Janeiro/2016

55.ª Newsletter SPD de Janeiro de 2015 - SPD

Patrocínio

topo_jan2016

Caros Sócios da SPD,

As novidades na área da diabetes continuam a surgir e várias atividades/congressos decorreram recentemente. Assim, cumpre-me enviar-vos nova newsletter da SPD.
Nesta newsletter salienta-se alguns artigos publicados na literatura médica e apresentações efetuadas em congressos. Igualmente, faz-se referência a atividades recentes no panorama diabetológico nacional e internacional.
Em nome da Direção da SPD, saudações antidiabéticas e um ótimo ano de 2016!

José Silva Nunes
Secretário-geral da SPD

 

•••••••••

1. Notícias da DireÇÃo da SPD


a. Novas recomendações de tratamento da diabetes no internamento, da SPD e da SPMI.

Resultado de trabalho conjunto da SPD e da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna, foram publicadas as recomendações de tratamento da diabetes durante o internamento na Revista Portuguesa de Diabetes de setembro de 2015 (versão PDF em http://www.spd.pt/images/stories/rpdset15.pdf);

 

b. Candidatura a Prémios e Bolsas da SPD.

Estão abertas as candidaturas para os vários Prémios e Bolsas da SPD 2016 cujos regulamentos poderão ser consultados na página eletrónica da SPD (http://www.spd.pt/index.php/bolsas-e-premios/regulamentos);

 

c. Questionário do Grupo Mediterrâneo para o Estudo da Diabetes (MGSD).

Já se encontra disponível, na página da SPD, a versão portuguesa do questionário “Perceção dos profissionais de saúde sobre os cuidados e o tratamento da diabetes mellitus tipo 2 na região do Mediterrâneo”. Em colaboração com o Mediterranean Group for the Study of Diabetes, pretende-se efetuar uma avaliação comparativa da perceção dos profissionais que lidam com pessoas com diabetes, nos vários países da região do mediterrâneo. Agradece-se a sua colaboração para este questionário que demora cerca de 10 minutos a ser preenchido (acesso no site da SPD ou através de http://www.mgsd-education.pt/);

 

d. Pagamento das quotizações em atraso.

Ao longo de 28 anos de atividade, a SPD tem promovido a investigação na área da diabetes através da atribuição de bolsas e prémios, na participação ativa em projetos e estudos científicos e na realização de eventos científicos. Porque a existência da SPD só tem sentido mediante a colaboração de todos os associados, por favor, regularize já a sua quota.

 

e. Aprovação de novos sócios:

i. Aline de Fátima Gomes Fernandes
ii. Ana Cláudia dos Santos Sousa Martins
iii. Ana Cristina Rodrigues Marques
iv. Ana Pereira de Sousa Von Hafe Pérez
v. Ana Sofia da Fonseca Mateus
vi. Bernardo Gago da Câmara Dias Pereira
vii. Bogdan Kachan
viii. Carlos Eduardo Braz Pina e Brito
ix. Cristina Isabel S. C. Cunha Cardoso
x. Dário Lúcio Ferreira de Jesus
xi. Diana Ferreira Picas Carvalho
xii. Joana Cristina de Jesus Viegas
xiii. João Miguel Ferreira Moura Alves
xiv. Joaquim Palmeiro Ribeiro
xv. Lia Magda Vieira de Jesus
xvi. Madalena Cristina da Rocha Martins
xvii. Maria Manuela de Sena Carita Gomes Macedo
xviii. Marília Sousa Ferreira
xix. Nelson Alexandre Carvalho Cunha
xx. Rosinda Maria Bonifácio Campos
xxi. Sara Isabel Pinto de Oliveira
xxii. Tatiana Emanuelli

 

•••••••••

2. 12.º Congresso PortuguÊs de Diabetes

O próximo Congresso Português de Diabetes, tendo como presidente o Dr. Carlos Simões Pereira, decorrerá entre 17 e 20 de março de 2016, no Hotel Tivoli Marina. O prazo limite para envio de comunicações será o próximo dia 20 de janeiro. Poderá obter mais informações no site do congresso (http://www.diabetologia2016.com/).

 

•••••••••

3. IX Forum Nacional da Diabetes

Sob presidência do Dr. Hélder Ferreira, no passado dia 7 de novembro decorreu o IX Forum Nacional da Diabetes, no Centro de Congressos do Estoril e, tal como na anterior edição, contou com mais de 2.000 participantes. Este ano, o embaixador da diabetes foi o humorista Herman José que nos pôs a rir com a rubrica “Rir é um bom remédio”.

 

•••••••••

4. ObservatÓrio Nacional da Diabetes

O relatório do Observatório Nacional da Diabetes (Diabetes: factos e números 2014) foi apresentado na Escola da Diabetes, no passado dia dia 3 de novembro. Entre outros, estiveram presentes o Diretor-Geral da Saúde, Dr. Francisco George e o então Ministro da Saúde, Dr. Fernando Leal da Costa. Dos dados apresentados, salienta-se a nova cifra estimada na prevalência de diabetes na população portuguesa (entre os 20 e os 79 anos): 13,1%.

 

•••••••••

5. MÉdico portuguÊs como vice-presidente da IDF

Durante o último Congresso Mundial de Diabetes, que decorreu entre 30 de novembro e 4 de dezembro, em Vancouver – Canadá, o Dr. Luís Gardete Correia foi nomeado como um dos vice-presidentes da Federação Internacional de Diabetes (IDF) para o biénio 2016-2017.

 

•••••••••

6. Em 2016, a OrganizaÇÃo Mundial da SaÚde dedica o Dia Mundial da SaÚde À diabetes mellitus

Este ano, o Dia Mundial da Saúde (comemorado no dia 7 de abril) estará dedicado à diabetes. No âmbito desta campanha será lançado o primeiro relatório mundial da OMS sobre a doença.

 

•••••••••

7. Novidades da literatura mÉdica sobre diabetes:

 

a. Empafliflozina e risco cardiovascular.

No passado congresso da Associação Europeia para o Estudo da Diabetes (EASD) e, posteriormente, no New England Journal of Medicine, foram apresentados os resultados do primeiro estudo de outcomes cardiovasculares com inibidores do cotransporte de sódio e glicose: o EMPA-REG OUTCOME. Neste estudo, a terapêutica com empagliflozina induziu uma marcada e significativa redução (de 14%) no end-point primário (constituído pelo compósito de morte cardiovascular, enfarte agudo do miocárdio não fatal e AVC não fatal) à custa de uma redução de 38% na morte de causa cardiovascular. (Empagliflozin, Cardiovascular Outcomes, and Mortality in Type 2 Diabetes. N Engl J Med 2015;373(22):2117-28);

 

b. Uso de antibióticos e risco de diabetes tipo 2.

Um estudo, levado a cabo com recurso a 3 bases de dados dinamarquesas, encontrou um risco acrescido (na ordem dos 53%) para o desenvolvimento de diabetes tipo 2 entre os indivíduos a quem, no passado, tinha sido prescrito medicação antibiótica. Os autores presumiram que este acréscimo de risco estivesse na dependência da alteração na microflora intestinal induzida por aquela medicação. (Use of Antibiotics and Risk of Type 2 Diabetes: A Population-Based Case-Control Study. J Clin Endocrinol Metab 2015;100(10):3633-40);

 

c. Efeito do uso de antibióticos sobre a microflora intestinal, as hormonas intestinais e o metabolismo da glicose.

O primeiro autor do artigo anterior, em colaboração com o grupo do Prof. Jens Holst, procurou avaliar o efeito do uso de antibioterapia, a curto prazo. Para tal, recorreu à administração de gentamicina, vancomicina e meropenem a indivíduos saudáveis, durante 4 dias. Embora fosse identificada uma alteração na microflora intestinal, ao fim de 6 semanas, não foram identificadas alterações no metabolismo dos hidratos de carbono. Contudo, foi evidente um aumento pós-prandial do péptido YY. (Effect of Antibiotics on Gut Microbiota, Gut Hormones and Glucose Metabolism. PLoS One 2015;10(11):e0142352);

 

d. Interferência do paracetamol na monitorização contínua da glicose.

Um artigo da revista Diabetes Care de outubro de 2015, dá nota da influência da toma do paracetamol (na dose de 1.000 mg) sobre a monitorização contínua da glicose. Esse efeito (que é mais significativo cerca de 2 horas após a toma) pode traduzir-se em valores, falsamente, mais elevados e que podem atingir os 61mg/dl acima do real valor. (Effect of acetaminophen on CGM glucose in an outpatient setting. Diabetes Care 2015;38(10):e158-9);

 

e. Tabagismo e risco de diabetes tipo 2.

A revista Lancet Diabetes & Endocrinology publicou uma meta-análise que encontrou uma relação entre a presença de hábitos tabágicos e o risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2. Esse acréscimo de risco era dependente do grau de tabagismo: +21% para hábitos tabágicos ligeiros, +34% se moderados e +57% se pesados. Esta meta-análise, reportando-se a perto de 6 milhões de indivíduos, atribui ao tabagismo cerca de 2,4% dos casos de diabetes tipo 2 no sexo feminino e de 11,7% no sexo masculino. (Relation of ative, passive, and quitting smoking with incident type 2 diabetes: a systematic review and meta-analysis. Lancet Diabetes Endocrinol 2015;3(12):958-67).

 

f. Influência dos hábitos tabágicos sobre a mortalidade e os eventos cardiovasculares em pessoas com diabetes tipo 2.

Os mesmos autores do artigo anterior publicaram uma outra meta-análise que evidenciou uma influência dos hábitos tabágicos no aumento da mortalidade geral, em 55% e da morte por causa cardiovascular, em 49% das pessoas com diabetes tipo 2. Nesta população, o tabagismo estava associado a um aumento de 44% para toda a doença cardiovascular, 51% para doença coronária isquémica, 54% para AVC, 115% (!!!) para doença arterial periférica e 43% para insuficiência cardíaca. Esse acréscimo de risco reduzia após a paragem dos hábitos tabágicos. (Relation of Smoking With Total Mortality and Cardiovascular Events Among Patients With Diabetes Mellitus: A Meta-Analysis and Systematic Review. Circulation 2015;132(19):1795-80).

 

•••••••••

Consulte estas e outras informações na página eletrónica da SPD: www.spd.pt

 

•••••••••

Actividades da Sociedade

SEDE DA SPD

Endereço: Rua do Salitre, n.º 149, 3.º Esq.
1250–198 Lisboa
Secretariado da SPD: Joana Antunes
Horário: de 2.ª a 6.ª feira das 9h30 às 12h30
Contacto: telefone: 213 524 147
Email: Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript ativado para o visualizar
© Sociedade Portuguesa de Diabetologia todos os direitos reservados